A criança tem sede de natureza

A princesa Irene da Holanda disse numa entrevista que 70% das crianças não passam nem um dia por ano no meio da natureza! Lendo isso ficou ainda mais clara para mim a importância do nosso Centro de Ecologia. Dentro do *Projeto Jardineiro, as crianças fazem a experiência de se tornar curumim: levantam cabanas, comem comida de índio, cantam e dançam músicas indígenas, são ‘batizados’ como guardiões da natureza, etc. Outro dia, fizeram o mapa dos sons da natureza: nos diferentes marcos das trilhas, ficaram bem quietos para ouvir os sons daquele lugar e anotaram ou desenharam. Essas experiências fizeram uma criança exclamar: “este lugar é o sonho do paraíso!” Querem dar um presente? Levem suas crianças à natureza! Uma opção é fazer um Programa, com a escola ou formando um grupo, no nosso Centro de Ecologia!

Direitos naturais da criança

(Divulgados por Rubem Alves)

1. Direito ao ócio. Toda criança tem direito de viver momentos de tempo não programados pelos adultos.

2. Direito de sujar-se. Toda criança tem o direito de brincar com a terra, com a areia, com a água, com a lama, com as pedras.

3. Direito aos sentidos. Toda criança tem direito de sentir os gostos e os perfumes oferecidos pela natureza.

4. Direito ao diálogo. Toda criança tem o direito de falar sem ser interrompida, de ser levada a sério nas suas ideias, de ter explicações para as suas dúvidas e de escutar uma fala mansa, sem gritos.

5. Direito ao uso das mãos. Toda criança tem o direito de pregar pregos, de cortar e raspar a madeira, de lixar, colar, modelar o barro, amarrar barbantes de cordas, de acender o fogo.

6. Direito a um bom início. Toda criança tem o direito de comer alimentos sãos desde o nascimento, de beber água limpa e respirar ar puro.

7. Direito à rua. Toda criança tem o direito de brincar na rua e na praça e de andar livremente pelos caminhos sem medo de ser atropelada por motoristas que pensam que as vias lhes pertencem.

8. Direito à natureza selvagem. Toda criança tem o direito de construir uma cabana nos bosques, de ter um arbusto onde se esconder e árvores nas quais subir.

9. Direito ao silêncio. Toda criança tem o direito de escutar o rumor do vento, o canto dos pássaros, o murmúrio das águas.

10. Direito à poesia. Toda criança tem o direito de ver o sol nascer e se por e de ver as estrelas e a lua.

“E eu pedi às crianças licença para acrescentar o décimo-primeiro direito” (Rubem Alves): 11. “Todo adulto tem o direito de ser criança…”